30/11/2008

Web 2.00 e produção de conteúdos - WikiSpaces


Se progressivamente as condições tecnológicas começam a ficar criadas nas nossas escolas, é importante saber dar um bom uso à internet e ao equipamento informático, para que se traduza também em qualidade do ensino e da aprendizagem.

Neste sentido, e retomando um assunto já aqui tratado anteriormente, aprendizagem colaborativa e escrita colaborativa, não podíamos deixar de partilhar uma das plataformas online que pode permitir essa expressão: Wikispaces.

O WikiSpaces, criado em 10 de Março de 2005, é um sítio para hospedagem gratuita de wikis, onde os utilizadores podem criar os seus próprios wikis facilmente. Mas o que são wikis?


Basicamente podemos definir como sistemas de publicação e armazenamento de informação. De acordo com a definição constante na Wikipédia, “os termos wiki são utilizados para identificar um tipo específico de colecção de documentos em hipertexto ou o software colaborativo usado para criá-lo”. O Wiki é pois uma ferramenta que permite com muita facilidade criar e alterar páginas, possibilitando a aprendizagem colaborativa. Estaremos desta forma a rentabilizar os recursos da Web e, por outro, a partilhar o conhecimento mediante a integração de várias ferramentas da Web 2.0 na prática docente ou em situações de aprendizagem realizadas de forma articulada no seio da escola. A este nível, e parafraseando Carlos Pinheiro e João Proença, os Wikis podem ser usados para vários fins na educação:

- Inserir conteúdos em trabalhos de grupo –cada elemento pode adicionar o seu contributo ao trabalho de grupo concebido on‐line.
- Como ferramenta de trabalho entre elementos de um conselho de turma ou departamento curricular profissionais
- Disponibilizar notícias – forma de manter um grupo com determinadas afinidades actualizado acerca de informação que lhe é pertinente.
- Partilhar documentos especializados – por exemplo instrumentos de formação;
- Partilha de conteúdos e actas do Conselho Pedagógico – a possibilidade de limitar o acesso ao Wiki permite a partilha de informação confidencial.
- Criar e manter documentos actualizados – constante actualização de documentos, de matérias de estudo que têm um elevado grau de mutabilidade.
- Construção de FAQ – conjunto de respostas‐padrão a questões comuns.
Espaços de debates de conferências, seminários e workshops – para preparação ou para debater as conclusões resultantes.
- Construção de portefólios para diversos fins.


A este propósito, partilho este vídeo educativo sobre o que é um wiki (dobrado em espanhol a partir do vídeo"Wikis in Plain English):



24/11/2008

A Biblioteca na Web 2.00

Nesta aprendizagem sobre as possibilidades que nos oferece a Web 2.00, surge uma ferramenta muito interessante, que permite converter documentos PDF em objectos Flash. Como aqui experienciamos, é possível, após a sua criação, inseri-la no nosso blogue ou na nossa página WEB.
Não tendo sido feita por nós, não quisémos deixar de partilhar esta publicação (reparem que os documentos apresentam um aspecto de revista, fácil de folhear...), produzida no issuu. Boas aprendizagens!

Partilha de conteúdos na Web

Quantas vezes gostaríamos de ter os nossos documentos acessíveis para um detrminado grupo de pessoas? Quantas vezes pensámos como posso enviar estes documentos para um grupo, sem que tenha de utilizar o e-mail?

Actualmente, a Web 2.0 disponibiliza ferramentas interessantíssimas, que permitem ao utilizador publicar/partilhar documentos online. Exemplo destas é o Scribd.

Para obter mais informação de como se pode registar e publicar no Scribd, veja ste pequeno vídeo







Aprecie um exemplo:

Bogs Education




Get your own at Scribd or explore others: Education web 2.00

Escola, Biblioteca e Web 2.0


Para todos os que se interessam pelas ferramentas Web 2.00 e sua aplicabilidade ao processo de ensino-aprendizagem, deixamos a recomendação para conhecerem e usarem o Manual de Ferramentas da Web 2.0 para Professores - disponível em formato digital - pelo Ministério da Educação DGIDC e organizado pela Professora Ana Amélia A. Carvalho, da Universidade do Minho.
Descarregue aqui pdf
Recomendo a consulta e leitura...

21/11/2008

Europeana: Biblioteca digital europeia




Foi ontem, dia 20 de Novembro, inaugurada, em Bruxelas, a Biblioteca Digital Europeia, que disponibiliza online mais de 2 milhões de obras dos 27 Estados-membros da União Europeia.
Imagens, textos, registos de som e vídeo - entre os quais se conta o acervo digital da Biblioteca Nacional de Portugal, parceiro do Projecto.

Embora o site da Europeana ainda não se encontre acessível, podemos obter mais informação aqui





20/11/2008

A web 2.0 e a produção de conteúdos… pelos alunos!


Quando hoje pensamos na aplicação do Plano Tecnológico e da quantidades de computadores que chegam, chegarão às nossas escolas (até à biblioteca!), inevitavelmente associamos à necessária produção de conteúdos pelos alunos. Onde aprender? Como usar? Que ferramentas podem ser utilizadas para tal efeito?
Acreditamos, como já o referimos, que os projectos educativos das escolas precisam de se reorientar, bem como os projectos curriculares de escola. Significa, com certeza, alterar também alguma cultura de escola mais adversa ainda à inclusão das ferramentas disponibilizadas actualmente ao nível das novas tecnologias, Web 2.0, no processo ensino aprendizagem.
Mas, se estamos a trabalhar de acordo com a concretização de um paradigma que assenta na autonomia, na existência de alunos que podem/devem ser parceiros activos e concomitantemente produtores de conhecimento e media, temos que nos adaptar a essa realidade.

Partilho por isso este projecto do IES Averroes de Córdoba. Vale a pena ver e ouvir a opinião dos alunos. E pensarmos como aplicar alguns dos princípios subjacentes nas suas mensagens à nossa realidade, inclusive ao famigerado trabalho articulado com a Biblioteca Escolar – um centro de aprendizagem por excelência no seio da escola.



17/11/2008

10 Razões para ler…



Há ideias muito boas. Esta é uma delas. Um marcador de livros, que podemos encontrar aqui, muito engraçado e motivador para a leitura.
A mensagem é muito interessante para os adolescentes e poderá servir de estímulo à leitura por prazer.

Inspiremo-nos…
Mas, atenção aos direitos de autor!

Aprendizagem colaborativa II

Falar de aprendizagem colaborativa é também abordar a questão da escrita colaborativa.

Será possível escrita colaborativa na e com a Biblioteca Escolar?

A experiência demonstra que sim. Os benefícios deste desafio tornam urgente a discussão no seio da própria escola. Na verdade estamos a falar de aprendizagem colaborativa. De situações de aprendizagem que recorrem a múltiplos recursos, inclusive os tecnológicos.

Hoje, Web 2.0 potencia o trabalho colaborativo e disponibiliza imensos espaços de colaboração que permitem a criação conjunta e a artilha de trabalhos e actividades on‐line. Podemos criar, editar e partilhar documentos de texto, folhas de cálculo, apresentações. hiperligações, conceitos, projectos de trabalho e imagens.
Podemos aceder e editar os documentos referidos a partir de qualquer lugar, através de um computador ligado à Internet. Todo o trabalho produzido está sempre disponível on‐line.

Exemplos de plataformas que nos permitem essas habilidades são Wikispaces e Google Docs. A propósito deste último, vejamos este pequeno vídeo:


Aprendizagem colaborativa

Sabemos todos que existem hoje, mais do que nunca, possibilidades/recursos que propiciem uma aprendizagem colaborativa. A Biblioteca, cumprindo as suas funções educativas, naturalmente pode ser um pólo dinamizador, em articulação com todas as estruturas educativas, para que se efectivem os pressupostos de uma aprendizagem bidireccional, uma Aprendizagem Colaborativa.
Gostei imenso deste vídeo e partilho-o convosco.



13/11/2008

A propósito de criarmos um e-book...

A propósito da criação de e-books, vejamos o seguinte documento:




Uma ferramenta a explorar, não?

A Revolução Digital chega às nossas Bibliotecas?


Apenas uma questão sobre a qual teremos que reflectir como cidadãos informados nesta sociedade da informação e da revolução tecnológica. Deixo aqui excertos de um artigo, a que podem aceder na íntegra aqui.

"Por que os livros são o último baluarte da tecnologia analógica?", perguntou Jeff Bezos, presidente-executivo da Amazon.com, em novembro do ano passado, quando sua empresa lançou o Kindle, um leitor eletrônico portátil. Por muito tempo, depois que outras mídias aderiram à revolução digital - e em alguns casos depois de sofrer suas conseqüências adversas -, as editoras de livros continuaram fiéis a reconfortantes ferramentas de baixa tecnologia como a impressão, a tinta e o papel. […]
Um ano depois, parece que esse baluarte enfim começa a ceder. O mundo dos livros também está se transformando em um mundo digital.
Recentemente, escritores e editoras norte-americanos chegaram a acordo com o Google quanto ao programa de busca de livros do grupo, sob o qual o Google está digitalizando o conteúdo de milhões de livros e fornecendo seu conteúdo via Internet. O acordo permite que o Google venda versões eletrônicas de trabalhos protegidos por direitos autorais que estejam fora do prelo, uma categoria que inclui a vasta maioria dos livros do planeta.
[…]Este mês, um grupo de bibliotecas e arquivos nacionais europeus planeja abrir o Europeana, um banco de dados online contendo dois milhões de livros e outros itens históricos e culturais, entre os quais filmes, quadros, jornais e gravações sonoras. As cartas de Mozart aos amigos, parte do acervo da Biblioteca Nacional Austríaca, em Viena? Estão lá. Partituras de seus primeiros trabalhos, que integram o acervo da Bibliothèque Nacionale de France?
[mas] Os esforços para criar bibliotecas ou livrarias online continuam a ser mais complicados na Europa que nos Estados Unidos. ….
Tradução: Paulo Migliacci ME
Herald Tribune

08/11/2008

Uma experiência no slideshare

Ainda a propósito da Biblioteca Escolar e da Web 2.0...

Reiterando a mesma ideia que colocámos no outro post, se os tempos e os utilizadores mudam, então a Biblioteca Escolar no cumprimentos das suas funções deve orientar-se para essa processo e adaptar-se à realidade que serve.
Se as Bibliotecas Escolares podem beneficiar da utilização de um blogue no cumprimento da sua missão, alargando e prolongando o âmbito e a acção da biblioteca para fora dos seus limites físicos, permite-nos também ter a possibilidade de continuarmos a manter uma relação directa com os utilizadores de uma biblioteca, de uma escola, de uma comunidade educativa, ou de uma comunidade… Mas, se a esse blogue adicionarmos valor, recorrendo a outras ferramentas e tecnologias disponíveis na Web, estamos decerto a aproximar-nos de um objectivo importante que é também o de estabelecer pontes de comunicação e contacto entre os indivíduos - contactos que são nucleares à natureza humana. Pelo que a biblioteca deve caminhar para ser também um espaço social que oferece recursos virtuais para todos e entre todos. E todos, numa instituição de ensino, são na verdade todos aqueles a quem é necessário disponibilizar informação, mas também promover o acesso e divulgação de recursos seleccionados (com a sua ajuda, por exemplo) que sirvam aprendizagens específicas no domínio do currículo formal ou informal e que podem ser o caminho para se iniciar um trabalho colaborativo entre a sala de aula e a Biblioteca. Num trabalho articulado, deste género, em que há evidentes vantagens em conhecer os melhores recursos que sirvam para a concretização de situações de aprendizagem específicas, é extremamente importante o envolvimento de todos os profissionais (professores, psicólogos, técnicos do ensino especial…) ligados ao processo de ensino-aprendizagem. Há que pensar conjuntamente nos critérios que se estabelecem, na informação a seleccionar, atendendo a que a Biblioteca como recurso transversal pode e deve servir/ajudar, ao nível de uma escola, numa boa política de selecção de informação que ajude o professor a ter uma ampla gama de recursos que sirvam os conteúdos em estudo nas diversas áreas curriculares (disciplinares ou não disciplinares). E os professores globalmente falando? Serão óptimos parceiros para colaborar na identificação de recursos de qualidade, na identificação das palavras-chave que vão ao encontro das necessidades dos alunos….Apenas um domínio em que a Biblioteca pode continuar a apostar, fazendo agora uso do recurso a novas ferramentas…Mas pensemos ainda na outra dimensão que seria poder partilhar apresentações de projectos/trabalhos realizados por alunos (em grupo ou individualmente, no contexto de uma disciplina ou outra área curricular… ). Como podemos na Biblioteca divulgar esses documentos sem os enviar para todos? Mais uma vez o recurso à tecnologia. Partindo por exemplo do nosso blogue, apenas fornecemos os links, atendendo a que os podemos disponibilizar em sites de partilha de ficheiros [ex: - http://www.flickr.com/ - imagens; http://www.youtube.com/ – vídeo; http://www.slideshare.net/ - apresentações multimédia / PowerPoint; - http://www.scribd.com/ - PDF e Documentos Office]. Muitas outras dinâmicas podiam ser perspectivadas. Vamos à descoberta.
Uma opinião…

A propósito da Biblioteca Escolar e da Web 2.0...

Continuando nesta corrida para percepcionar e argumentar a favor do recursos/ ferramentas da Web 2.00 que contribuem para que a(s) nossa(s) Bibliotecas se encaminhem para sítios dinâmicos, virtualmente falando, num tempo de mudança(s) e de formas de aprender e ensinar diferentes, não poderia deixar de partilhar o slideshare La biblioteca 2.0 en el entorno educativo. Considero-o um bom ponto de partida, tanto no domínio conceptual, como na explicação sistematizada que faz sobre o uso de algumas ferramentas ao nível das Bibliotecas: blogues e wikis, RSS, Folksonomia…



01/11/2008

Concurso de blogues

Best of blogs é o concurso [edição 2008] que se encontra a decorrer até 26 de Novembro, e que pretende distinguir os melhores blogues do ano. O objectivo desta iniciativa é distinguir os melhores blogues, podcasts e video-blogues da internet, disponibilizados em 11 idiomas.

Os vencedores serão conhecidos no dia 27 de Novembro, numa cerimónia pública que terá lugar na Alemanha.

E nós por cá...?

Claro que também estamos representados.

Bibliotecário de Babel, da autoria de José Mário Silva, concorre na categoria de melhor blogue em português. Como podemos ler ao consultar este recursos o"Bibliotecário de Babel é um blogue sobre livros. O que está dentro dos livros, à volta dos livros, antes e depois dos livros. Com um ritmo em princípio diário, falará sobre o que se convencionou chamar “o mundo dos livros”, sobre as pessoas que os escrevem, mas também sobre aquelas que os fazem, os pensam, os vendem. Este será um espaço para reflexões sobre literatura e apontamentos de reportagem, visitas a livrarias, passagens por bibliotecas, recensões próprias e dos leitores, entrevistas, notícias, anúncios de prémios, cobertura de lançamentos e debates, etc.
Resumindo numa frase: nada do que se passa entre uma capa e a respectiva contracapa (incluindo as badanas, a ficha técnica, o ISBN) escapará ao interesse e escrutínio deste blogue. As únicas limitações coincidem com as limitações do seu autor, um ser humano falível e incapaz de esticar, por muito que tente, as parcas 24 horas de cada dia."



Quer conhecer os nomeados? Viaje até ao site

A votação encontra-se a decorrer e todos podemos fazer uso no nosso direito democrático e agora com mais alguma formação. Se quiser votar, entre aqui

http://www.thebobs.com/index.php?l=pt&s=1155503109924847OMDFOOVR-NONE

Imagens...


Quantas vezes necessitamos de uma imagem sugestiva para acompanhar a nossa apresentação, o nosso discurso sobre um livro, uma leitura, uma análise...

Quantas vezes não encontramos o que queremos nesta imensidão que a internet já nos disponibiliza. Partilho apenas mais um dos sítios onde encontramos algumas dessas imagens.

Um Clube de Leitura na Biblioteca Escolar

Esta é uma iniciativa que pode juntar pessoas com diferentes opiniões! Que cruza diferentes leituras e com diferentes suportes! Que apel...